REVISTA BIBLIOT3CA

Leituras Selecionadas do Editor-Chefe J.Filardo

Marcas de Maçons

J. Filardo M∴I∴

Um dos graus anexos (altos graus) da Maçonaria Inglesa é o Mark Mason, que já abordamos nesse blogue em MAÇOM DE MARCA.

No artigo publicado, abordou-se as marcas de maçons antigas, dos Operativos, encontradas nas catedrais de toda Europa. Alguns exemplos que vi em Portugal:

 

Mas, curiosamente, encontrei no site da Venerável Companhia dos Maçons de Londres, a informação de que também os “operativos” atuais (artesãos em pedra) marcam suas peças, e a VCM está compilando as marcas para registra-las. Eis o texto:

“Os pedreiros usavam marcas distintas em seu trabalho há muitos séculos para garantir que recebessem o pagamento.  Os maçons que estavam livres de seus mestres viajavam por todo o país em busca de trabalho e marcas de assinatura tinham um valor ainda maior quando a arte se espalhava geograficamente.

Quando pedras desgastadas ou quebradas são removidas de edifícios antigos durante a reforma, essas marcas geralmente são expostas na parte de trás da pedra.  Eles são interessantes em si mesmas, mas raramente é possível combiná-las com o pedreiro original.

Muitos pedreiros tradicionais que trabalham hoje em dia mantêm o patrimônio construído de catedrais, igrejas, prédios municipais e casas senhoriais, e mantêm a tradição de identificar seu trabalho adicionando suas próprias marcas pessoais.   A cantaria e as esculturas carregam, portanto, a marca do pedreiro que deu a última contribuição ao edifício, e a Companhia dos Maçons está registrando as marcas dos pedreiros modernos para garantir que o trabalho possa ser identificado no futuro.

Para que as gerações futuras possam corresponder uma marca ao pedreiro que fabricou a pedra, a Masons Livery Company lançou uma iniciativa para capturar as Marcas de pedreiro atuais.

%d blogueiros gostam disto: