REVISTA BIBLIOT3CA

Leituras Selecionadas do Editor-Chefe J.Filardo

SABORES DE MAÇONARIA

 Ir. J. Filardo, M. ‘. I.’.

TABLIER1

A Escócia deu ao mundo mais do que bom uísque e música de gaitas de fole. Deu-nos a Maçonaria …

Já em 1250, a primeira Grande Loja de Franco Maçons foi criada em Köln, Alemanha. Mas estes eram os construtores, como empresas empregadas pela Igreja Católica e as cabeças coroadas da época.

Mas estamos, na verdade, falando sobre a instituição que hoje conhecemos como a Maçonaria.

Em última análise, tudo se resume a política e religião.

A fim de estabelecer um ponto de partida, vamos começar com São Patricio que foi o responsável pela evangelização da Irlanda no século V. Mais tarde, no século VI, os irlandeses colonizaram o que hoje é conhecido como Escócia.

Já havia cristãos na Escócia, graças ao São Columba, e a Igreja Católica tomou conta do país até o século XVI, quando a Igreja da Escócia rompeu com o papado e adotou a religião calvinista. Alguns senhores escoceses permaneceram católicos romanos, mas a Escócia era então, em grande parte um estado protestante.

Não podemos nos esquecer, também, que nesse mesmo século, Henrique VIII também tinha rejeitado a autoridade papal e iniciado a Reforma Inglesa.

Outros elementos que se misturam no caldeirão da História são a Alquimia e a Antiga Ordem Mística Rosae Crucis.

Uma referência curiosa é a presença no Hamlet de Shakespeare de duas personagens, Rosencrantz e Guildenstern, cujos nomes soam muito como Rosecroix e Guildenstern uma palavra que tem “Guilda” como raiz. William Shakespeare escreveu a tragédia entre 1599 e 1602. É um fato que o manifesto Rosacruz só foi publicado em 1614 e na Alemanha, mas o corpo de conhecimento que informa o manifesto está intimamente ligado à Tradição, e é lícito pensar que o movimento já existia muito antes da publicação do Manifesto. Devemos considerar também, que Shakespeare estava bem à frente de seu tempo, com uma ampla compreensão da cultura de seu tempo.

A “moda” na Corte escocesa da época eram estudos alquímicos e Rosacruzes. Os nobres formavam grupos de estudo, e a história diz que “no século XVII , latifundiários ricos estavam interessados ​​em arquitetura renascentista e no desenho de jardins formais para suas vastas propriedades e … [como] não podiam obter o estatuto de uma guilda, [eles] modelaram sua organização segundo os maçons, que tinham uma organização adicional e independente de sua guilda: a loja. ” [i]

Sério? Uma coincidência notável? Um grupo interessado em arquitetura e rosas?

Desde 1502, quando James IV da Escócia assinou o Tratado de Paz Perpétua com Henrique VII da Inglaterra, e se casou com a filha de Henry, Margaret, unindo assim as Coroas. Este casamento deu legitimidade à nova linhagem real Tudor.

O problema era que os escoceses reais eram católicos e quando “John Knox, em 1560, realizou seu objetivo de ver a Escócia se tornar uma nação protestante, e o parlamento escocês revogou a autoridade papal na Escócia. Maria, Rainha dos Escoceses, católica e antiga rainha da França foi forçada a abdicar em 1567. “[ii]

Progressivamente, foram definidos os campos, os escoceses jogando pela Igreja Católica, enquanto a equipe inglesa defendia a Igreja da Inglaterra. As primeiras lojas maçônicas da Escócia, herdeiros da Ordem dos Jardineiros misturada com uma incipiente Maçonaria tomou o lado jacobita, apoiando os Stuarts na sua luta pelo trono do Reino Unido. As lojas irlandesas as acompanharam e cerraram fileiras com as lojas escocesas.

Em 1688-1689, ocorreu a Revolução Gloriosa que derrubou o rei James VII da Escócia e II da Inglaterra, um católico, precipitando a Inglaterra em uma profunda crise, tanto política quanto religiosa.

“Os conservadores Thories inicialmente apoiaram o rei católico James II; alguns deles, junto com os Whigs, o depuseram na Revolução de 1688 e convidaram o príncipe holandês Guilherme III para tornar-se monarca. Ingleses, especialmente no norte do país eram Jacobitas e continuaram a apoiar James e seus filhos. Depois que os parlamentos da Inglaterra e Escócia concordaram,  [62]  os dois países se juntaram em união política, para criar o Reino da Grã-Bretanha em 1707.  [56]  Para acomodar a união, instituições como a lei e a igreja nacional de cada um dos países permaneceram separados.  [63]  Sob o recém-formado reino da Grã-Bretanha, a produção da Royal Society e outras  iniciativas inglesas combinaram-se ao Iluminismo escocês para criar inovações em ciência e engenharia. Isso pavimentou o caminho para o estabelecimento do Império Britânico. ” [iii]

O Estabelecimento Inglês, preocupado com o apoio às ambições dos Jacobitas pelas lojas escocesas e irlandesas, contra atacou com a organização de um ramo protestante da Maçonaria em 1717, a fim de conter a tendência nascente, e prestar apoio à Casa de Orange, o novos governantes do Reino Unido.

Este era o pano de fundo histórico contra o qual a Maçonaria viu a luz. Pelo menos um dos sabores de Maçonaria, o conservador que visa controlar o comportamento e as discussões da Intelligentsia britânica. Era chamado The Craft.

Do outro lado do Canal da Mancha, entretanto, o povo francês não estava tão satisfeito com seus nobres, e num quadro de crise econômica provocada pela erupção do vulcão islandês Laki em 1783, o país foi precipitado na fome devido à mudança climática que afetou as culturas francesas de trigo. Esta circunstância combinada com uma insatisfação geral com o comportamento político da nobreza e da Igreja levou à Revolução Francesa em 1789, que durou dez anos e produziu a República Francesa.

A Maçonaria foi introduzida na França em 1726. Sua evolução foi um pouco errática, pois havia muitos graus inventados aleatoriamente. Em 1771, o Rito Francês foi estabelecido, resgatando o espírito da Constituição de 1723 e preservando a liberdade de religião que tinha sido comprometida pelo conflito entre as lojas irlandesas e escocesas de um lado (católicas), e as lojas inglesas (protestantes) de outro.

Na virada do século, após a Revolução, a Maçonaria francesa emergiu renovada a partir do caos, grávida de liberdade e dos ideais da República, uma instituição libertária e progressista, que se tornou o segundo sabor de Maçonaria, um contraponto ao instrumento de controle inventado pelo Estabelecimento Inglês.

Um terceiro sabor apareceu também na França, uma quase-religião sob a denominação de Rito Escocês Antigo e Aceito, também muito conservadora e alienante, mas que ganhou os corações e mentes das pessoas religiosas ao redor do mundo. Por uma questão de fato, esse terceiro sabor de Maçonaria não é exatamente Maçonaria. É uma ordem de cavalaria que adotou a estrutura e simbólica da Ordem Maçônica. Como se trata de um compromisso entre a religião cristã e a Maçonaria, tornou-se muito popular e representa hoje uma grande parte das lojas em todo o mundo.

Estes são os três sabores principais, mas há outros que são variações dos três primeiros, alguns deles verdadeiros delírios de natureza simbólica, onde os seus membros perderam o contato com a natureza da Maçonaria e partiram para a estratosfera simbólica, inventando descontroladamente graus e conteúdo totalmente divorciados das intenções originais.

A História nos mostrou que o sabor francês de Maçonaria, por seu modelo libertário e comprometido foi mais influente na luta pela liberdade nas Américas, enquanto o outro sabor, o inglês, trabalhava basicamente como instrumentos para condicionar o comportamento de seus membros, como um instrumento suplementar de controle, da mesma forma que a Igreja Católica opera entre os seus membros.

3 comentários em “SABORES DE MAÇONARIA

  1. Prezado, gostei do artigo. Gostaria de saber se os últimos 5 parágrafos são paráfrases (ou transcrições) exatas narradas por Maçons historiadores ou você colocou sua impressão pessoal de pesquisador?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Loja Virtual de Estudos "Amigos do GOdF"

Discussão de temas diversos.

Literary Yard

The best words are those unread

O PARAÍSO DA LEITURA

“Eu realmente acredito que quando iniciamos um livro nasce uma fada.”

O Ponto Dentro do Círculo

Post Tenebras Lux - Os iniciados “viram a Luz”, e cabe agora a eles iluminar o caminho da humanidade.

Meditations on the Tarot

Plunging in the currents of the Hermetic Tradition

%d blogueiros gostam disto: