Bibliot3ca FERNANDO PESSOA

E-Mail: revista.bibliot3ca@gmail.com – Bibliotecário- J. Filardo

O que você pode fazer para combater as mudanças climáticas

Tradução J. Filardo

Por Bill Gates

Este trecho de meu livro inclui várias ideias de como você pode nos ajudar a chegar mais perto de um futuro com zero carbono.

Quando converso com as pessoas sobre as mudanças climáticas, quase sempre me perguntam a mesma coisa:  O que posso fazer para ajudar?  Então, quando me sentei para escrever meu novo livro, eu sabia que queria incluir um capítulo sobre as ações que os indivíduos podem realizar para nos aproximar de um futuro com carbono zero.

É da natureza humana querer fazer algo quando você se depara com um problema ─ especialmente um tão grande quanto a mudança climática. A boa notícia é que existem coisas que todos podem fazer.  Embora as medidas mais impactantes que podemos tomar para evitar um desastre climático devam acontecer em nível governamental, você tem o poder de efetuar mudanças como cidadão, consumidor e empregado ou empregador.

Abaixo está um trecho de livro que cobre as categorias de cidadão e consumidor.  Espero que ele ofereça algumas idéias de como você pode ajudar a resolver esse problema urgente. (Também haverá maneiras de fazer parceria comigo por meio do meu trabalho com Energia revolucionária, minha organização se dedica a colocar em prática as ideias deste livro.)

Trecho de Como Evitar um Desastre Climático

Como Cidadão

Quando você se pergunta o que pode fazer para limitar a mudança climática, é natural pensar em coisas como dirigir um carro elétrico ou comer menos carne.  Esse tipo de ação pessoal é importante pelos sinais que envia ao mercado ─ consulte a próxima seção para saber mais sobre esse ponto ─ mas a maior parte de nossas emissões vem dos sistemas maiores em que vivemos nossas vidas diárias.

Quando alguém quer torradas no café da manhã, precisamos ter certeza de que há um sistema que pode entregar o pão, a torradeira e a eletricidade para fazer a torradeira funcionar sem adicionar gases de efeito estufa à atmosfera.  Não vamos resolver o problema do clima dizendo às pessoas para não comerem torradas.

Mas colocar esse novo sistema de energia em funcionamento requer uma ação política concertada.  É por isso que o envolvimento no processo político é o passo mais importante que pessoas de todas as camadas sociais podem dar para ajudar a evitar um desastre climático.

Em minhas próprias reuniões com políticos, descobri que ajuda lembrar que a mudança climática não é a única coisa que eles têm de enfrentar.  Os líderes governamentais também estão pensando em educação, empregos, saúde, política externa e, mais recentemente, COVID-19.  E eles deveriam:  Todas essas coisas exigem atenção.

Mas os formuladores de políticas podem resolver apenas alguns problemas ao mesmo tempo.  E eles decidem o que fazer, o que priorizar, com base no que ouvem de seus eleitores.

Em outras palavras, os governantes eleitos adotarão planos específicos para a mudança climática se seus eleitores assim o exigir.  Graças a ativistas em todo o mundo, não precisamos gerar demanda:  Milhões de pessoas já estão pedindo ação.  O que precisamos fazer, entretanto, é traduzir esses apelos por ação em pressão que encoraje os políticos a fazer as escolhas difíceis e as escolhas necessárias para cumprir suas promessas de reduzir as emissões.

Quaisquer outros recursos que você possa ter, você sempre pode usar sua voz e seu voto para efetuar mudanças.

Faça ligações telefônicas, escreva cartas, frequente reuniões políticas. O que você pode ajudar seus líderes a entender é que é tão importante para eles pensar sobre o problema de longo prazo das mudanças climáticas quanto sobre empregos, educação ou saúde.

Pode parecer antiquado, mas cartas e telefonemas às autoridades eleitas podem ter um impacto real. Senadores e deputados recebem relatórios frequentes sobre o que seus gabinetes estão ouvindo dos eleitores. Mas não diga simplesmente: “Faça alguma coisa sobre a mudança climática”. Saiba a posição deles, faça perguntas e deixe claro que esse é um problema que ajudará a determinar como você votará. Exija mais financiamento para P&D de energia limpa, um padrão de energia limpa ou um preço sobre o carbono, por exemplo.

Olhe localmente, bem como nacionalmente. Muitas das decisões relevantes são tomadas nos níveis estadual e local por governadores, prefeitos, câmaras de deputados estaduais e câmaras municipais – lugares onde os cidadãos individuais podem ter um impacto ainda maior do que em nível federal. Nos Estados Unidos, por exemplo, a eletricidade é regulada principalmente por comissões de serviços públicos estaduais, compostas por membros eleitos ou nomeados. Saiba quem são seus representantes e mantenha contato com eles.

Candidate-se. Candidatar-se ao Congresso é uma tarefa difícil. Mas você não precisa começar por aí.  Você pode concorrer a um cargo estadual ou local, onde de toda forma provavelmente terá mais impacto. Precisamos de toda a inteligência, coragem e criatividade em cargos públicos que pudermos obter.

Como Consumidor

O mercado é governado pela oferta e demanda e, como consumidor, você pode ter um grande impacto no lado da demanda da equação.  Se todos nós fizermos mudanças individuais no que compramos e usamos, isso pode significar muito – desde que nos concentremos nas mudanças que são significativas.  Por exemplo, se você puder instalar um termostato inteligente para reduzir o consumo de energia quando não estiver em casa, faça-o com certeza.  Você vai cortar sua conta de luz e suas emissões de gases de efeito estufa.

Mas reduzir suas próprias emissões de carbono não é a coisa mais poderosa que você pode fazer.  Você também pode enviar um sinal ao mercado de que as pessoas querem alternativas zero carbono e estão dispostas a pagar por elas.  Quando você paga mais por um carro elétrico, uma bomba de calor ou um hambúrguer vegetal, está dizendo: “Há mercado para essas coisas.  Nós as compraremos. ” Se um número suficiente de pessoas enviar o mesmo sinal, as empresas responderão – muito rapidamente, na minha experiência.  Eles colocarão mais dinheiro e tempo na fabricação de produtos de baixa emissão, o que reduzirá os preços desses produtos, o que os ajudará a serem adotados em grande número.  Isso deixará os investidores mais confiantes sobre o financiamento de novas empresas que estão fazendo avanços que nos ajudarão a chegar a zero.

Sem esse sinal de demanda, as inovações em que governos e empresas investem ficarão na prateleira.  Ou elas não serão desenvolvidas em primeiro lugar, porque não há incentivo econômico para fazê-las.

Aqui estão algumas etapas específicas que você pode seguir:

Inscreva-se em um programa de preços verdes com sua concessionária de energia elétrica.  Algumas empresas de serviços públicos permitem que residências e empresas paguem mais pela energia de fontes limpas.  Em 13 estados, os serviços públicos são obrigados a oferecer essa opção. (Você pode ver se o seu estado faz isso verificando o Programas de Preços Verdes mapear no C2ES – o Centro de Soluções de Energia e Clima.) Os clientes nesses programas pagam um adicional em sua conta de luz para cobrir o custo extra de energia renovável, uma média de um a dois centavos por quilowatt-hora, ou US$ 9 a US$ 18 por mês para o típico lar americano. Quando você participa desses programas, está dizendo à sua concessionária de eletricidade que está disposto a pagar mais para cuidas das mudanças climáticas. Esse é um importante sinal de mercado.

Mas o que esses programas não fazem é cancelar as emissões ou levar a aumentos significativos na quantidade de energia renovável na rede.  Somente políticas governamentais e maiores investimentos podem fazer isso.

Reduza as emissões de sua casa.  Dependendo de quanto dinheiro e tempo você pode gastar, você pode substituir suas lâmpadas incandescentes por LEDs, instalar um termostato inteligente, isolar suas janelas, comprar eletrodomésticos eficientes ou substituir seu sistema de aquecimento e resfriamento por uma bomba de calor (desde que você viva em um clima onde eles possam funcionar). Se você aluga sua casa, pode fazer as alterações sob seu controle – tais como substituir lâmpadas – e incentivar seu locador a fazer o resto. Se estiver construindo uma casa nova ou reformando uma antiga, você pode optar por aço reciclado e tornar a casa mais eficiente usando painéis isolados estruturais, formas de concreto isolantes, barreiras radiantes de telhado ou sótão, isolamento reflexivo e isolamento de fundação.

Compre um veículo elétrico.  Os VEs percorreram um longo caminho em termos de custo e desempenho. Embora possam não ser adequados para todos (não são ótimos para muitas viagens rodoviárias de longa distância e carrega-los em casa não é conveniente para todos), eles estão se tornando mais acessíveis para muitos consumidores. Este é um dos lugares onde o comportamento do consumidor pode ter um grande impacto:  Se as pessoas comprarem muitos deles, as empresas farão muitos deles.

Experimente um hambúrguer vegetal.  Admito que os hambúrgueres vegetarianos nem sempre têm um gosto bom, mas a nova geração de alternativas de proteínas vegetais é melhor e mais próxima do sabor e da textura da carne do que seus predecessores.  Você pode encontrá-los em muitos restaurantes, mercearias e até mesmo em locais de fast-food.  A compra desses produtos envia uma mensagem clara de que fabricá-los é um investimento inteligente.  Além disso, comer um substituto da carne (ou simplesmente não comer carne) apenas uma ou duas vezes por semana reduzirá as emissões pelas quais você é responsável.  O mesmo vale para produtos lácteos.

Eu tenho uma pegada de carbono acima da média, então estou tomando medidas extras para fazer minha parte. No livro, eu menciono brevemente como estou compensando minhas próprias emissões. Eu gasto cerca de US $ 5 milhões todos os anos para compensar a pegada de carbono da minha família.  A partir de agora, o cálculo padrão para pegadas de carbono é baseado em uma estimativa de US $ 400 por tonelada de emissões.  Mas como a forma como calculamos as pegadas de carbono ainda está em sua infância, pego a pegada de carbono de nossa família e duplico para ter certeza de que estamos cobrindo totalmente nossa pegada e mais um pouco.

Também gosto de pensar em meus investimentos em tecnologias de carbono zero como outro tipo de compensação para minhas emissões.  Investir em empresas não diminui minha pegada de carbono.  Mas se eu escolhi quaisquer vencedores, eles serão responsáveis por remover muito mais carbono do que eu sou responsável por criar.  Eu doei mais de US $ 1 bilhão para inovações e ideias que espero ajudem o mundo a chegar a zero ─ incluindo energia limpa acessível e confiável, cimento de baixa emissão, aço, carne e muito mais.

Embora emissores pesados como eu devam usar menos energia, o mundo como um todo deveria usar mais energia porque esse é um elemento-chave para tirar os países da pobreza e expandir nossa economia global.  Não há nada de errado em usar mais energia, desde que ela não dependa  de carbono. A chave para lidar com a mudança climática é tornar a energia limpa tão barata e confiável quanto a que obtemos a partir de combustíveis fósseis.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: