Um irmão que se apresenta sob o pseudônimo de Hermes Trimegistus nos coloca, um pouco jocosamente, a seguinte dúvida:

Quem reconheceu a primeira Grande Loja como “Regular”? Foi o G.’.A.’.D.’.U.’.?

Nessa dúvida estão envolvidos dois conceitos diferentes: Regularidade e reconhecimento.

Mas, há que se considerar que ambos os conceitos surgiram somente depois da invenção da Grande Loja de Londres em 1717.  De fato, ela exercitou o chamado Poder Constituinte, com base em quatro lojas que lhe conferiram a chamada “regularidade”.

Mas, tendo inventado a franquia, a GL de Londres não tinha que se preocupar com essa questão, já que os privilégios de inventor lhe davam a primazia. A “regularidade” era essencial para a preservação da franquia. Como em um contrato moderno, o franqueado é obrigado a pagar taxas e observar uma série de requisitos destinados a manter a marca.

Posteriormente, esta regularidade foi contestada pelas Lojas escocesas e irlandesas que se denominavam Antigos e que pejorativamente atribuíram o nome de Modernos à novel Grande Loja de Londres.  E os Antigos não “reconheciam” o Modernos.

Vê-se que essa polêmica nascida na invenção da maçonaria ainda dará muito pano pra manga…