Artigo da Revista Franc Maçonnerie Por Irene Mainguy

Em geral, todo grupo humano desejoso de se reunir em um local seguro prevê para sua segurança a presença de um guarda. É assim que no século 18, as lojas que se reuniam muitas vezes nas salas dos fundos de tabernas precisavam ser duplamente protegidas. É por isso que havia um guarda interior chamado “Cobridor” e um guarda externo designado sob o nome de “Telhador”.

https://bibliot3ca.wordpress.com/goteira/