Considerações sobre o Rito Moderno ou Francês

Ir.·. Antonio Onias Neto - M .´. I .´. (+ 2013)
Ex-Sob.·. Gr.·. Insp.·.
Geral do Supr.·. Cons.·. do R.·. M.·.

Muito se critica e pouco se conhece a respeito do Rito Moderno ou Francês. Uma das mais infantis acusações (?) ou afirmativas gratuitas que se faz sobre o Rito é ser ele ATEU. É lamentável que maçons, que deveriam conhecer um pouco de filosofia e teoria do conhecimento, façam confusão entre ateísmo e agnosticismo. O Rito Moderno, por saber que a atitude filosófica da Maçonaria é a pesquisa constante da verdade, e por outro lado, ao ver que a verdade, para que seja considerada em todo o seu sentido, deve ser absoluta e infinita, abraça a corrente de pensamento que reconhece a impossibilidade do conhecimento do Absoluto pelo homem em sua finitude e relatividade, ou seja o AGNOSTICISMO. Afirmando assim uma posição de humildade perante o Absoluto, o que deveria ser característica de todo Maçom.

Acrescente-se mais que o Gnosticismo, como teoria da possibilidade de conhecimento (não confundir com os chamados "Gnósticos" do início da Era Cristã), afirma que é possível conhecer o absoluto. Ora, o Ateísmo, ao afirmar categoricamente a inexistência de Deus, pertence à corrente gnóstica, posto que, nessa assertiva, mostra ser possível conhecer o Absoluto, donde podemos concluir que o ateu jamais será agnóstico e o agnóstico não pode ser ateu, pois suas teorias da possibilidade do conhecimento se chocam frontalmente.

Por outro lado, há religiões, como o Budismo, que, em sua origem, tomam uma posição agnóstica, não se preocupando em explicar o Absoluto, reconhecendo a impossibilidade de definí-lo. Desta forma, o Rito Moderno acolhe em seu seio, sem nenhum constrangimento, irmãos das mais diversas profissões religiosas e filosóficas, posto que, mesmo sendo ele agnóstico, não impõe aos seus membros o agnosticismo, mas exige deles uma posição relativa quanto à possibilidade de que outros Irmãos, que abraçam outra filosofia, estejam certos, ora quem é dono da verdade não tem necessidade de pesquisá-la ou procurá-la.

Outra afirmativa que se faz sobre o Rito Moderno é sua anti-religiosidade, o que não passa de outra confusão, que os dicionários, se consultados, ajudariam a esclarecer. O prefixo "anti" quer dizer "contra". O que melhor caberia para o Rito é o prefixo "a", que significa "inexistência", "privação"; e é empregado no sentido de eqüidistância entre o "a favor" e o "contra". A maçonaria é eqüidistante das religiões, não é uma seita religiosa, e os Irmãos que assim a tornam são, evidentemente, ou aqueles que procuram desvirtuá-la, ou aqueles que insatisfeitos com suas religiões procuram na Maçonaria uma nova religião ou a compensação para as suas frustrações místicas.

E, é baseado na eqüidistância perante as religiões que o Rito Moderno não adota a existência da Bíblia no Triângulo de Compromissos, Altar de Juramentos para outros Ritos. Os defensores da colocação da Bíblia alegam que deve haver um "livro da lei revelada". Ora, a Bíblia só passou a ser adotada em algumas Lojas a partir de 1740, antes disso Anderson e os demais Maçons aceitavam a obrigação do "Livro da Lei", Lei Maçônica, Lei Moral. Acrescente-se, ainda, que existem religiões, tais como a Umbanda, o Candomblé, a Pajelança, e outras, com diversos adeptos entre nós, que possuem um livro da lei revelada, cuja tradição é oral. Perguntamos, que livro religioso se colocaria na presença de tais Irmãos?

Vemos constantemente Irmãos Judeus e Muçulmanos, quando Iniciados e em suas exaltações, compelidos a jurarem sobre a Bíblia Cristã, em tradução Católica ou Protestante, numa autêntica violação de suas consciências e dos princípios maçônicos, ou numa prova de que tais juramentos são falsos. Nosso "Livro da Lei" são os princípios da Sublime Ordem, quando muito as Constituições das Potências às quais pertença a Loja, onde constam tais princípios, ou, ainda, as Constituições de Anderson, em sua redação original, que deu origem à institucionalização da moderna Maçonaria. Aproveitamos para transcrever o artigo primeiro da Constituição de Anderson, que é bastante claro a respeito do assunto: "O Maçom está obrigado, por sua vocação, a obedecer a Lei Moral, e se compreender seus deveres, nunca se converterá em um estúpido ateu nem em um irreligioso libertino. Apesar de nos tempos antigos os Maçons estarem obrigados a praticar a religião que se observava nos países em que habitavam, hoje crê-se mais conveniente não impor-lhes outra religião senão aquela que todos os homens aceitam, e dar-lhes completa liberdade com referência às suas opiniões particulares. Esta religião consiste em ser homens bons e leais, quer dizer, homens honrados e probos, seja qual for a diferença de denominações ou de convicções. Deste modo, a Maçonaria se converterá em um centro de União e é o meio de estabelecer relações amistosas entre pessoas que, fora dela, teriam permanecido separadas".

Após a leitura deste texto, muito pouco se poderá acrescentar a respeito, além de que há religiões que não permitem ao homem se ajoelhar perante seu semelhante, como exigem alguns Ritos, o que não é permitido no Rito Moderno. Mais uma vez o Rito prova, com sua atitude, ser eqüidistante e respeitar a religião de todos os Irmãos. Bom seria que os Irmãos, que se intitulam religiosos, estudassem um pouco a história e o conteúdo de outras religiões além das nossas, saindo de uma posição sectária, proibida pela Ordem.

Outra "terrível" acusação que se faz ao Rito é não invocar e tampouco adorar o "GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO", tendo inclusive evitado o uso de seu nome nos Rituais. Ora, meus Irmãos, por mais boa vontade de que possamos estar imbuídos, jamais deixaremos de invocar as entidades religiosas a que estamos ligados dentro de termos e Rituais próprios de nossa religião, e, estaremos desta forma sempre ferindo e violando as crenças e as formas de adoração de outros Irmãos. Deixemos as adorações e as invocações para fazê-las em nossas Igrejas, nossas Sinagogas, nossos Templos religiosos, nossos Centros, nossos Terreiros, nossas Casas e evitemos fazê-las em Loja, onde temos a obrigação de não forçar qualquer Irmão a repetir fórmulas com as quais sua consciência não possa concordar.

Quanto ao não uso do nome do Grande Arquiteto do Universo nos Rituais: este uso só começou a ocorrer a partir da Convenção de 1877, por conclusão do relator da proposta de exclusão do seu uso nos Rituais do Grande Oriente de França, e, é bom lembrar que este Irmão relator era um religioso, o pastor protestante Frederico Desmons. Este foi o grande motivo para que a Grande Loja Unida da Inglaterra rompesse relações com o Grande Oriente de França

No entanto, o Grande Oriente da Bélgica, desde 1872, vedara a invocação e a inclusão do Grande Arquiteto do Universo nos seus Rituais, e nem por isso a Potência inglesa rompera relações com os belgas. O principal fundamento para a exclusão do nome do Grande Arquiteto do Universo dos Rituais é terem os Irmãos, como se pode observar, utilizado dia a dia o símbolo do Princípio Criador da Energia inteligente, do Ente Supremo, do mesmo modo que se vulgarizou o termo Deus, particularizando o seu emprego, invocando-o e adorando-o, conforme sua religião e não como símbolo de todas as concepções que se tenha do que é a Origem do Universo.

Antes de encerrar essas breves considerações gerais sobre o Rito Moderno ou Francês, não poderíamos esquecer o problema dos "Landmarks". O que são "Landmarks"? O próprio nome diz: são marcas de terra, limites, lindeiros, e como tal devemos considerá-los, jamais como dogmas.

Lembremo-nos: NA MAÇONARIA NÃO EXISTEM DOGMAS, EXISTEM PRINCÍPIOS. No Brasil, existe uma verdadeira psicose pelos "Landmarks" de Mackey, e, no entanto, quando a Maçonaria veio para nossa Pátria, eles sequer existiam, tendo aparecido apenas em 1858. Meus Irmãos, fica a pergunta: quem deu poderes, que entidade inspirou ao nosso Irmão Mackey para firmar dogmas dentro da Sublime Ordem? Particularmente um deles: o 25º, que não permite qualquer alteração, ferindo o princípio da investigação constante da verdade, da evolução, da pesquisa, de se afirmar progressista: nada pode mudar a partir dele, é o dogma da imutabilidade, da não evolução. É evidente que o Rito Moderno, dentro desses termos, não poderia aceitar os "Landmarks" de nosso querido Irmão, que pretendeu impedir um dos fundamentos da Maçonaria: A LIBERDADE.

Meus Irmãos, diversos são os "Landmarks" mais conhecidos, tais como os de Findel, de Lecerff, de Pound, de Mackey, de Grant, que chegam a 54, e muitos outros. Qual deles é o profeta da Maçonaria que recebeu inspiração divina pra que se afirme ser sua catalogação a correta? Que Congresso Maçônico mundial concluiu serem estes ou aqueles os "Landmarks" aceitos universalmente? Deverão os "Landmarks", mesmo que universais, estacionarem no tempo e no espaço? Apenas como lembrança, devemos citar que muitos dos nossos Irmãos de outros Ritos e de outras Potências concordam plenamente conosco na tese que abraçamos sobre os "Landmarks".

Conclamamos aos Irmãos de todos os Ritos e de todas as Potências: devemos nos preocupar com aquilo que nos une, e, relegar ao segundo plano o que nos separa. Este é o fito primordial do Rito Moderno quando dá origem à instituição de um "Grande Oriente": admitir a diversidade dos Ritos, unindo, numa mesma Potência, Irmãos das mais diversas posições filosóficas, num verdadeiro Universalismo, pois este é o princípio fundamental da Sublime Ordem.

 

PRIMEIRO CONGRESSO NACIONAL DAS LOJAS DO RITO MODERNO

19/05/2018

Curitiba – Paraná

Agenda

Cronograma de atividades

07:00 às 07:50 – Entrega das credenciais

08:00 às 08:20 – Abertura do evento

Grão Mestre do GOP-PR Ir.: Rubens Martins

08:25 às 08:40 – Introdução

Ir.: Gustavo Patuto (GOP-PR)

08:40 às 09:10 – História do Rito Moderno e as reformas ritualísticas

Ir.: Divino Ribeiro (GOP-PR)

09:10 às 10:00 – Coffee Break

10:00 às 10:30 – Rito Moderno no Brasil

Ir.: Cleber Vianna (GOEB-BA)

10:30 às 11:00 – Desafios de implantação e perpetuação do Rito Moderno na GLESP

Ir.: Octaviano Galvão Neto (GLESP)

11:00 às 11:30 – Lojas Universitárias ou Fraternidades Acadêmicas

Ir.:  Marco Piva (GOB-SC)

11:30 às 13:00 – Almoço

13:00 às 13:30 – Programa de formação de instrutores maçônicos

Ir.:  Vicente Sarubbi (GOMS)

13:30 às 14:00 – Qual a contribuição que o Rito Moderno pode trazer para uma potência?

Ir.: João Krainski (GOP-PR/COMAB)

14:00 às 14:30 – As mudanças da maçonaria em função das novas tecnologias

Ir.: Alaor  Tissot (GOSC)

14:30 às 15:30 – Coffee Break

15:30 às 16:00 – A ética e a moral

Ir.: Walter Celso de Lima (GOB/SC)

16:00 às 16:30 – O Rito Moderno e as religiões

Ir.: Arthur Aveline (GOB/RS)

16:30 às 17:00 – Porque ser maçom e praticar o Rito Moderno?

Ir.:  Ismael Mamede (GOP/SP)

17:00 às 18:00 – Encerramento e entrega dos certificados

Local e Data

A primeira edição ocorrerá em Curitiba/PR no dia 19/05/2018 na Rua Antônio Martin de Araújo, 391 – Jardim Botânico – CEP: 80210-050

Inscrições: R$ 90,00* – VAGAS LIMITADAS
Inscrições até o dia 31/03/2018.

APOIO:  GRANDE ORIENTE DO PARANÁ – COMAB/CMI

*(Inclui almoço livre, 2 coffee breaks, apostila e certificado do evento).

 

Acomodações

Os participantes gozarão de preços especiais no Hotel MabuRua 15 de Novembro 830  – Quarto Individual R$ 199.00+15%   e Quarto Duplo R$ 229.00+15% – preços válidos de 18/5 a 20/5. Após esse período as tarifas serão cobradas a preço normal.

O Hotel BourbonRua Cândido Lopes, 102 –  também oferece descontos que serão oportunamente divulgados.

As reservas deverão ser feitas diretamente pelo interessado mediante código de bloqueio que será fornecido com a confirmação da inscrição.

Os custos aéreos variam de R$ 220.00 a R$ 357.00.

Inscrições, Informações e Contato

Ir.: Gustavo Patuto – Comissão Organizadora 2018 –
(41) 99900-8601 (Whatsapp)

Inscreva-se  AQUI

Published in: on janeiro 5, 2018 at 8:35 am  Comments (2)  
Tags:

Ordem DeMolay

 

 

O que é a Ordem DeMolay

A Ordem DeMolay é uma das maiores organizações juvenis do mundo, e a maior com fins filosóficos, filantrópicos, e sem fins lucrativos, já tendo iniciado desde de sua origem, mais de 2,5 milhões de jovens. Trabalha alicerçada na máxima de que “educando-se o jovem estaremos nos eximindo da tarefa de ter que castigar o adulto”. Fundada em 18 de março de 1919 em Kansas City, Missouri, EUA, tem como objetivo formar jovens de 12 à 21 anos de idade, melhores cidadãos e líderes através do desenvolvimento e fortalecimento da personalidade e enfatizando virtudes indispensáveis para a boa conduta social. Ao contrário do que muitos pensam, nós não somos uma instituição Maçônica Juvenil, mas, unificada e dirigida por Maçons, organizada em sua origem como Supremo Conselho Internacional da Ordem DeMolay, em Kansas City, EUA.

A Ordem DeMolay não tem a pretensão e não deseja tomar o lugar do Lar, da Igreja ou da Escola nessa busca do aperfeiçoamento, mas coadjuvá-los com um programa de ensinamentos, visando uma boa cidadania à seus membros. É baseado no espírito de fidelidade, liderança, responsabilidade e busca de um ideal que a Ordem DeMolay trabalha os valores e virtudes de seus membros, na busca de um mundo mais digno e justo para todos, sem distinções. Os ensinamentos da Ordem orientam seus membros a se dedicar à felicidade de seus semelhantes, não só porque a razão e a moral lhes impõem tal obrigação, mas também porque esse sentimento de solidariedade os faz irmãos.

E quanto mais isto se intensifica, os países do mundo inteiro ficam mais próximos uns dos outros, ligando-se através dos jovens DeMolays que desenvolvem as Sete Virtudes Cardeais de um DeMolay: Amor Filial, Reverência pelas Coisas Sagradas, Cortesia (educação), Companheirismo (amizade), Fidelidade, Pureza e Patriotismo. Assim, mais importantes se tornam as atividades e os esforços para alcançarmos a verdadeira compreensão mútua dos valores culturais e sociais de cada nação, independentemente de origem, raça, cor, nacionalidade, religião, língua e sexo.

Quando um jovem ingressa na Ordem DeMolay várias coisas passam em sua cabeça, como a idéia da grande responsabilidade que assumiu em estar entrando para “o maior exército de jovens do mundo”; pode parecer muito, mas dali já se forma a mente de um futuro líder que irá lastrear sua conduta aos moldes de Nossa Ordem.

Atualmente a Ordem DeMolay está presente em 13 países dos quais podemos destacar Brasil, Estados Unidos, Austrália, Japão, Itália e Alemanha e outros países desejam implantar a Ordem como Inglaterra, França, Índia e Noruega. Além dos Estados Unidos mais 5 países tem Supremo Conselho próprio incluindo o Brasil.

 

O que a Ordem DeMolay significa? 

A Ordem DeMolay é uma organização para jovens entre 12 e 21 anos de idade, tendo estado ativa por mais de 80 anos e se orgulha de ser uma sociedade fraternal-juvenil de milhões de membros.

Seu patrono, Jacques DeMolay, foi expedicionário das Cruzadas, no século XIV. Foi queimado no poste por não trair seus irmãos e seguidores. Do seu exemplo, a Ordem DeMolay aprendeu a lição e importância da honestidade, da lealdade e do amor fraterno. Nós reverenciamos sua memória e tentamos viver nossas vidas baseados nestes princípios e ideais, com os quais qualquer jovem pode conviver. Possui em seu fundamento 7 princípios essenciais, os quais chamamos de Virtudes Cardeais de um DeMolay: Amor Filial, Reverência pelas Coisas Sagradas, Cortesia, Companheirismo, Fidelidade, Pureza e Patriotismo.

 

O que a Ordem DeMolay pode fazer por um jovem? 

Os propósitos da Ordem DeMolay são muitos: sociais e de caráter construtivo. Pode-se dizer que as atividades são variadas, sempre com algo para todos. Na Ordem DeMolay o jovem é encorajado a se expressar e fazer suas opiniões conhecidas; falar com outros jovens e discutir problemas comuns à juventude.

Também na Ordem DeMolay o jovem será ajudado a se tornar um tipo de pessoa que será um crédito para a sociedade, não por ser forçado a isso, mas porque sentirá uma vontade própria, porque esta é a coisa certa a fazer, como homem e como DeMolay. Com as pressões de hoje sobre o jovem e as exigências postas sobre eles, cabe-lhes o direito de serem chamados de jovens e como resultado, o mundo tem o direito de esperar que eles conduzam suas vidas de acordo.

A Ordem DeMolay tem o poder de alistar jovens de bons princípios e transformá-los em líderes, dando-lhes ensinamentos e leis diárias para dirigir os rumos de suas vidas e até de sua nação. Cada novo DeMolay é um líder em potencial: falta-lhe apenas o devido treinamento.

 

Como um jovem se qualifica para se tornar um DeMolay? 

Para adentrar a esta grandiosa organização de jovens é necessário, sobretudo, a crer em um Deus, independente de qualquer religião. No entanto, vale ressaltar que a Ordem DeMolay não é uma religião. O jovem deve também trazer consigo os sete princípios básicos da Ordem DeMolay. E se algum jovem abraça estas Sete Virtudes, com certeza não passará desapercebido pela Ordem DeMolay.

Fonte: Ordem De Molay

Published in: on dezembro 6, 2017 at 9:45 am  Comments (3)  

A Lenda dos Quatro Santos Coroados

Tradução J. Filardo

(Baseada no Manuscrito Arundel – Publicada no AQC Vol 1 – p 60)

quator coronatum

Aqui começa a paixão dos Santos Mártires Cláudio, Nicóstrato, Sinfronio, Castório e Simplício[i], aos VI dias dos idos de Novembro.

Nos dias em que Diocleciano foi à Panônia, onde ele devia estar presente na coleta de vários metais das montanhas, aconteceu que, quando ele se reuniu com os trabalhadores de metal, ele encontrou entre eles alguns homens, por nome Cláudio, Castório, Sinfronio e Nicóstrato, dotado de grande habilidade artística — trabalhadores maravilhosos na arte da escultura. Eles eram cristãos em segredo, guardavam os mandamentos de Deus, e qualquer trabalho que eles fizessem na arte da escultura, eles o faziam em nome de nosso Senhor Jesus Cristo.

Isso aconteceu em um determinado dia, quando Diocleciano estava dando ordens aos trabalhadores de esculpir uma imagem do sol, com sua carruagem, cavalos e tudo a partir de uma única pedra, que, naquela época todos os trabalhadores deliberando com os filósofos começaram a lustrar sua conversa sobre esta arte; e quando eles tinham chegado a uma enorme pedra do metal de Thasos, sua arte de escultura não tinha utilidade, de acordo com o comando de Diocleciano Augusto.

E por muitos dias, houve uma disputa entre os operários e os filósofos. Mas em um determinado dia, todos os trabalhadores reuniram-se em um só lugar, setecentos e vinte e dois, com os cinco filósofos, à superfície da pedra e começaram a examinar os veios da pedra, e houve um efeito maravilhoso entre os trabalhadores e os filósofos. Ao mesmo tempo Sinfrônio, confiando na fé que ele tinha, disse ao seus companheiros: Peço-vos, a todos, que confiem em mim, e eu descobrirei, com meus discípulos, Cláudio, Simplício, Nicóstrato e Castório. E, examinando as veias do metal, eles começaram sua arte da escultura em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. E seu trabalho teve sucesso, de acordo com os comandos de Augusto.

Leia mais: A Lenda dos Quatro Santos Coroados

Published in: on julho 31, 2017 at 4:08 pm  Deixe um comentário  

Mais uma loja do Rito Moderno em São Paulo

Inaugurada no dia 3 de Junho de 2017, a ARLS Alvaro de Campos no Oriente de São Paulo, Capital.

Published in: on junho 22, 2017 at 2:03 pm  Comments (7)  

CORREÇÃO DE LINK

Origem e evolução dos Cargos em loja da Maçonaria e dignidades maçônicas na Grã-Bretanha do Século XVII até Nossos Dias

 

 

Link correto:

 

https://bibliot3ca.wordpress.com/origem-e-evolucao-dos-cargos-em-loja-da-maconaria-e-dignidades-maconicas-na-gra-bretanha-do-seculo-xvii-ate-nossos-dias/

Published in: on maio 24, 2017 at 4:07 pm  Deixe um comentário  

FELIZ ANO NOVO MAÇÔNICO 6016!

Criação & Fotografia: José Filardo

O calendário maçônico é a maneira particular utilizada pelos maçons para numerar os anos e designar os meses.

O ano um do calendário maçônico é o Ano da Verdadeira Luz Anno Lucis em Latim. Ele marca o início da Era da Verdadeira Luz (VL). Antes que o Anno Lucis aparecesse a partir do século XVIIIe nos documentos ingleses, os temos Anno Masonry e depois Anno Latomorum , Anno Lithotomoru ou Anno Laotomiae (Era dos Cortadores de Pedra)1. A datação do Ano da Verdadeira Luz seria baseada nos cálculos de James Ussher, prelado anglicano nascido em 1580 em Dublin. Ele tinha desenvolvido uma cronologia começando com a criação do mundo segundo o Genesis que ele estimava em 4000 A.C. baseandose no texto Massorético ao invés da Septuaginta 2.

O Pastor Anderson a defendeu em suas Constituições de 1723 para afirmar simbolicamente a universalidade da Maçonaria através da adoção de uma cronologia supostamente independente de particularidades religiosas, pelo menos no contexto britânico da época . A data escolhida para o início da Era maçônica é 4000 antes da Era Comum.

O ano maçônico tem a mesma duração do ano gregoriano, mas começa em 1o de Março como o ano Juliano ainda em vigor na época da redação das Constituições de Anderson. Ela tomou o milésimo do ano gregoriano em andamento e aumentou 4000, os meses são designados apenas por seus números ordinais.

  • Exemplos:
    • 29 de Fevereiro de 2004 era o 29o dia do 12o mês do ano 6004 da Verdadeira Luz

O ano maçônico tem duas festas: São João de Verão (João Batista, comemorado em 24 de junho) e São João de Inverno (João Evangelista, comemorado em 27 de Dezembro), coincidindo simbolicamente com os solstícios.

(Wikipedia)

Published in: on março 1, 2016 at 8:35 am  Comments (5)  

LA UMURM Y EL RITO MODERNO

ACADEMIA INTERNACIONAL DEL Vº RITO MODERNO (UMURM)

LA UMURM Y EL RITO MODERNO,

UNA REALIDAD INCONTESTABLE.

Presentado por José María Bonachi Batalla

Hablar hoy, en este foro del Roosevelt Center, sobre el Rito Moderno es hablar del Rito de Fundación, de una francmasonería que nace como una utopía en 1717, con la intención de marcar una nueva orientación con el objetivo de caminar hacia el «Centro de Unión».

…..

La Unión Masónica Universal del Rito Moderno no se configura por tanto como una macro estructura que pretenda confrontarse a otras existentes, o imponerse a las Potencias adheridas a ellas; simplemente, desde su autoridad moral emanada por sus Cuerpos Constituyentes, pretende dar abrigo y tender puentes entre todos aquellos practicantes de los Órdenes de Sabiduría de buena voluntad que así lo deseen, y cuyos objetivos se manifestaron en el momento de su fundación:

  1. Promover, difundir y promocionar, usos y costumbres del Rito Moderno.
  1. Fomentar la interrelación y armonía entre sus miembros en aras de la práctica de una francmasonería verdaderamente Universal.
  1. Ser un foro plural de dialogo e intercambio en pos de crear un verdadero Centro de Unión sin importar las peculiaridades territoriales, obedienciales o rituales.
  1. Facilitar el acercamiento entre Cuerpos Filosóficos del Rito Moderno mediante el reconocimiento mutuo sin ningún tipo de discriminación.
  1. Fomentar una dinámica de trabajo y temas de reflexión conjuntos entre sus Cuerpos.

Leia mais: https://bibliot3ca.wordpress.com/la-umurm-y-el-rito-moderno/

Published in: on janeiro 11, 2015 at 4:40 pm  Deixe um comentário  

A PARTIR PEDRA

Bros.

Um excelente texto de nosso Ir.´. português, Rui Bandeira.

Vale a pena seguir o blog dele http://a-partir-pedra.blogspot.com.br/

Textos claros, em um português castiço e prazeiroso.

Aproveitem…

TAF

Philardo

A PARTIR PEDRA

Published in: on agosto 14, 2014 at 8:55 am  Deixe um comentário  

A teologia da aritmética

Extraído dehttp://serendip.brynmawr.edu/local/scisoc/brownbag/brownbag0304/Theology_of_Arithmetic.pdf

Tradução: S.K.Jerez

Qual é a importância do número? Qual é a importância da aplicação do número aos fenômenos, ou seja, contar?

Quais são os problemas com o número? Quais são os problemas da aplicação numérica aos fenômenos, ou seja, contar?

Qual é a vantagem de um relato numérica? O que pode ser feito com o número que não pode ser feito de outra forma?

Qual é a vantagem de relatos imagéticos ou narrativas?

Filolau, em Estobeu 1.3.8 ( DK11 )

O poder, a eficácia e a essência do número são vistos na Década; ela é grande, ele realiza todos os seus propósitos e é a causa de todos os efeitos. O poder da Década é o princípio e guia de toda a vida, divina, celestial ou humana em que se insinua; sem ela tudo é ilimitado, obscuro e furtivo. De fato, é a natureza do número que nos ensina a compreensão, que nos serve como um guia, e nos ensina todas as coisas que de outro modo ficariam impenetráveis e desconhecidas para todos os homens.

Continue a leitura em https://bibliot3ca.wordpress.com/a-teologia-da-aritmetica/

Published in: on janeiro 24, 2014 at 9:24 am  Comments (2)