Tradução Idalina Lopes

Por Bruno Etienne[1]

A menina que brinca de amarelinha no pátio da escola pública não sabe que desenha uma mandala com seu corpo.

O maçom que abre o Painel da Loja antes da abertura dos trabalhos ao Meio-Dia deveria saber que desenha uma mandala, pois o rito declara que ordo ab chaos – a ordem vem do caos. Mas existem, infelizmente, várias Oficinas que não utilizam mais nem o Painel da Loja nem os três candelabros (que remetem à sabedoria, à força, à beleza, isto é, à ética e à estética), que não me parece absolutamente audacioso imaginar quantos de nossos Irmãos estão afastados da Maçonaria. Então é preciso sê-lo (audacioso) para escrever que “C. G. Jung é a aurora da Maçonaria”, mas a sorte favorece os audaciosos!

 

Leia mais em:  Maçonaria e Jung