0-blocos assentados

1. Introdução

Nesta loja justa e perfeita, onde os presentes foram reconhecidos companheiros maçons, com todos sintonizados dentro de um mesmo e idêntico plano, onde a maior presença é a do G∴A∴D∴U∴, faremos inicialmente alguns comentários sobre um tópico do nosso grau actual, para posteriormente desenvolver o tema que nos foi proposto para o aumento de nosso salário.

Lembramos a todos os IIr∴ que a maçonaria é estudo, um contínuo aperfeiçoamento do homem para atingir a verdadeira sabedoria, pelos degraus da tolerância, do amor fraternal, do espírito de pesquisa e perseverança, tendo a mente livre de preconceitos (resumidamente pode-se dizer que O maçon é um livre pensador, de acordo com palavras do meu padrinho, o V∴M∴).

O sentimento de solidariedade, que nasce da sincera e íntima comunhão entre os irmãos, deve ser a constante preocupação do maçon e, em particular do companheiro. Ressalta-se que se a liberdade é o ideal do aprendiz, que aspira a luz, a igualdade é o do companheiro, para que possa consolidar os seus sentimentos de fraternidade.

Às qualidades e aspirações do aprendiz, deve o companheiro acrescentar a capacidade de realizar praticamente, em actividades construtivas, o conhecimento adquirido. Cabe ressaltar e reafirmar que o simbolismo é a alma e a vida da Maçonaria. Se a tarefa do aprendiz foi desbastar a pedra bruta com o

  • O Malhete (vontade na aplicação) e
  • O cinzel (discernimento na Investigação – Julgamento)

a incumbência do companheiro será a de polir esta pedra com o auxílio:

  • Do Compasso (medida ou circunspecção na pesquisa).
  • Do Esquadro (rectidão na acção),
  • Do Prumo (profundeza na observação).
  • Do Nível (emprego correcto do conhecimento),
  • Da Régua (precisão na execução),
  • Da Alavanca (poder da vontade) para torná-la cúbica.

 

Continue a ler no excelente blog  FREEMASON.PT