Poe  Kristine Wilson-Slack 

Tradução J. Filardo

 

Não devo temer.  Medo é o assassino da mente. Medo é a pequena morte que traz obliteração total.  Eu enfrentarei o meu medo. Permitirei que ele passe sobre mim e através de mim.  E quando tiver passado, eu vou virar o olho interno para ver seu caminho.  Onde o medo desapareceu, não haverá nada.  Só eu permanecerei.

Frank Herbert, Duna

Em nossa juventude, combatemos a injustiça do mundo. Ao desenvolver nossas filosofias, também desenvolvemos nossos medos.  Em um grupo de discussão recente sobre o simbolismo específico da Maçonaria, foi feita a pergunta: como podemos nos livrar dos medos, quais são realmente os falsos deuses? O medo, alguém postulou, é aquele que motiva comportamento negativo. Outro postulou que o medo motiva os comportamentos. Depois de muita discussão, nunca chegamos a uma conclusão sólida sobre como mitigar o medo.

O medo é a sensação desagradável causada pela crença de que alguém ou algo é perigoso, ameaçador ou susceptível de causar dor.  Esta definição está madura com a oportunidade para dissecação, para separar as partes que criam razões filosóficas para o medo.

 

Leia mais em MEDO: O ASSASSINO DA MENTE