Tradução S. K. Jerez

Por J. A. Ferreira da Costa

Napoleão em Santa Helena

Tentativa de fuga do prisioneiro de Santa helena organizada entre os emigrados franceses nos Estados Unidos e os agentes da Revolução de Pernambuco (1817) mostra que os Estados Unidos pretendiam “libertar” o Brasil de Portugal no início do Século XIX.

A rivalidade colonial entre França e Inglaterra; as lutas contínuas desses dois grandes povos pela preponderância política na Europa; os ressentimentos históricos recíprocos têm sido as principais causas da simpatia que a França tem demonstrado para com a América do Norte, em revolta contra sua metrópole do velho continente.

A corte de Luís XVI fez mais do que votos pela independência americana: parte da nobreza francesa, entusiasta da liberdade, cansada do descanso, ávida por aventuras distantes, entregou-se à libertação de uma nação que se julgava madura para a República.

Em 1778, a França interveio no Novo Mundo; em 1779, a Espanha e a Holanda seguiram seu exemplo generoso, e quatro anos depois, em 3 de setembro de 1783, as principais potências reconheciam por tratados a existência jurídica dos Estados Unidos da América do Norte.


Se queres ir mais longe, clica em NAPOLEÃO E O BRASIL