Resolvi tentar ler mais um trabalho do Brother Burkle. Lá pela metade, lembrei-me dos tempos da faculdade, quando era obrigado a ler alguns autores, entre eles Camilo Castelo Branco – Amor de Perdição. Eu tinha uma daquelas edições de ouro e a cada página lida eu atirava o livro contra a parede. No final tinha um monte de folhas soltas…

Não dava para jogar o computador na parede, e como sou teimoso fui até o fim e agora brindo vocês com esta pérola de delírio maçônico-esoterico de quem perdeu totalmente de vista o que seja maçonaria e mergulhou na alienação total ou na entropia. E não está sozinho, pois menciona o Brother Martinez da Northern California Research Lodge, a quem cita no texto. É preciso descontar o fato de que eles são americanos e seguem uma “brand” toda especial de ordem de cavalaria a que chamam de maçonaria, mas, mesmo assim…

É admirável como coisas simples como a corda de nós usada pelos antigos pedreiros para a medição de distâncias possa se transformar ao passar pelos recônditos cerebrais do autor; como uma mera franja bordada nos antigos tapetes de loja para evitar que esgarçassem pode se transformar em símbolo de altíssimo significado. Unbelievable!!!!

O curioso é que pela primeira vez eu vejo uma menção da Corda de 81 Nós (precisarei verificar, porque em principio a afirmação do Brother Burkle não foi confirmada quando verifiquei a obra citada do Falconer, onde nada encontrei.)

Mas, valeu o esforço do Brother Burkle que parece ser muito competente, esforçado pesquisador e brilhante, ainda que meio equivocado em suas conclusões. Receio, porém, que esta tenha sido a ultima peça dele que pretendo ler. Não dá.

Uma boa leitura a todos…

https://bibliot3ca.wordpress.com/a-corda-de-nos-na-tradicao-esoterica-maconica/

ainda bem que ele deixa claro que todo esse delírio “É a visão do autor, que o valor esotérico de nós como símbolos de unidade, força e amor infinito são evidentes.”